Avançar para o conteúdo principal

Osteoporose e a carência de Potássio


Alimentos ricos em potássio


Não sente falta de potássio?

O sal de mesa, o bom e velho cloreto de sódio, não é o único sal que pode utilizar na sua alimentação.
Também pode utilizar o sal de potássio, que também tem um sabor salgado, e que pode melhorar a sua saúde de muitas maneiras.
Só tem de começar a utilizar o sal de mesa contendo cloreto de potássio, na sua alimentação. O único inconveniente é que tem um sabor ligeiramente amargo, embora a maioria das pessoas não note.

Porque é que o cloreto de potássio é melhor?

Porque permite que reduza a ingestão de cloreto de sódio (sal comum), do qual a dieta moderna é muito rica. Diminuindo assim o risco de hipertensão, problemas cardiovasculares e doenças renais.

Mas cuidado: podem existir contra-indicações do potássio. Isto é especialmente verdadeiro, se tiver dificuldades em eliminar o excesso de minerais, ou se está a tomar medicamentos que aumentam os níveis de potássio no sangue. Isto inclui pessoas com diabetes, com doença nos rins, obstrução do trato urinário ou quem está a tomar inibidores ECA.
Mas se não está nesta situação, o médico provavelmente não porá objecção, a que use o sal de cloreto de potássio em vez de cloreto de sódio.

Poderíamos parar aqui, mas esta informação, poderá fazer uma diferença decisiva para a saúde de muitos leitores. Como indicado no título, o tema de é realmente a osteoporose, cujo problema de saúde, é sério.


Se vive num país industrializado, existe a possibilidade de sofrer de uma deficiência de potássio, que faz com que o cálcio na sua urina, provoque o risco de osteoporose a longo prazo, e, portanto, fracturas ósseas.



Deficiência generalizada.

Em todos os mamíferos terrestres, o consumo de alimentos vegetais e animais, fornece uma grande quantidade de potássio, e pouco de sódio.
A raça humana não é excepção: entre os nossos ancestrais caçadores-coletores, a média de consumo de sódio não excede 1gr por dia, mas o consumo de potássio, entre adultos, anda entre 8 e 10gr por dia.
No entanto, há 10.000 anos, a situação foi revertida. O consumo de cloreto de sódio, muito usado, tanto por razões de gosto como de conservação, explodiu. Em contraste o consumo de potássio tem sido muito reduzido, porque actualmente comemos muito menos frutas e legumes.
Consumimos três vezes mais sódio do que os nossos ancestrais caçadores-coletores, e 3 vezes menos potássio. E a situação é semelhante noutros países industrializados.

O equilíbrio ácido-base do nosso corpo

No entanto, sódio e potássio desempenham um papel crucial para o equilíbrio ácido-base do nosso corpo. O potássio desempenha o seu papel nos fluidos (sangue, urina, saliva…) dentro das células e o sódio fora das células.
Para funcionar correctamente, o nosso organismo deve conter um pH equilibrado, nem muito baixo nem muito alto – ou seja nem muito ácido ou muito básico (ou alcalino). O sangue é normalmente, ligeiramente básico, com o pH entre 7,35 e 7,4. Quando ingere sal normal (cloreto de sódio), os iões de cloretos contidos no sal, combinam com o hidrogénio para formar ácido clorídrico.
O seu organismo torna-se ácido. E como não gosta, vai nadar contra a corrente com toda a sua força, utilizando todos os meios, incluindo os que a longo prazo, são maus para si.

Em particular, vai extrair dos seus ossos substâncias basificantes (também chamadas de alcalinizantes) para compensar. Porque os ossos contêm citratos e bicarbonatos de cálcio, conhecidos por diminuir a acidez do corpo.
Resultado: o cálcio é removido durante este processo, diminui a densidade óssea, os ossos tornam-se frágeis, é a osteoporose. Acidose crónica tende a “dissolver” os ossos através da remoção do conteúdo mineral ósseo, mas também desgasta os músculos e causa danos nos rins.

Quando aparece cálcio na urina.

Está no bom caminho para ter graves problemas e tomar o cálcio suplementar não o vai ajudar.
Isso explica porque é que, as pessoas nos países em desenvolvimento da Ásia e da África, não têm osteoporose, quando consomem uma média de 330mg de cálcio por dia. Em geral estas pessoas comem mais frutas e legumes do que nós, que temos uma melhor ingestão de potássio. Em seguida, eles economizam melhor o cálcio dos ossos, e o pouco cálcio que ingerem na alimentação, é absorvido.
Nos países industrializados, tomamos cerca de 1gr de cálcio por dia, por vezes mais, mas temos muito mais osteoporose, especialmente porque temos falta de potássio. A situação é particularmente extrema, nos países escandinavos, onde a contribuição de cálcio de origem láctea é muito importante, mas onde o baixo consumo de frutas e legumes, faz com que o risco de fractura do colo femoral (e outras facturas ósseas) alcance um recorde mundial.


Até ao final do Paleolítico, há 10-12.000 atrás, a comida era extremamente alcalina. A dieta pré-histórica rica em frutas, legumes, tubérculos, raízes (alcalinizantes) era saturada de sais de potássio, que facilmente neutralizavam os ácidos do metabolismo dos alimentos. Este ambiente moderadamente alcalino, é aquele para o qual estamos geneticamente feitos. Infelizmente após 10.000 anos e mais nos últimos dois séculos, é numa acidose crónica que nadamos, porque no consumo de cereais, carnes, produtos lácteos, o sal tem aumentado, e o consumo de frutas e vegetais diminuiu.
Na luta contra a acidose é necessário aumentar a ingestão de potássio. Não há dose recomendada em França, no Canadá e nos Estados Unidos, as autoridades recomendam 4,700mg por dia. O registo real, é estimada em apenas 2.300mg nas mulheres e 3.100mg nos homens. Para isso, deverá aumentar a proporção de frutas e vegetais, fornecedores de potássio (pelo menos quatro partes de legumes e 3 de frutas cada dia). Todas as frutas e legumes são boas fontes de potássio, mas alguns alimentos são, obviamente, melhores do que outros: sendo a mais importante a levedura seca, que contém 2.000mg/100g.
O feijão branco também é rico, contendo 1.061mg por cada xícara de 250ml O tomate também tem valores elevados. Outras fontes interessantes são abóboras, espinafres cozidos, bananas (422mg por fruto).

As frutas secas como os figos também são muito interessantes.

O cloreto de potássio que consome, para substituir o sal de mesa, no entanto, não serve de muito. Na verdade, este sal tem um efeito alcalinizante: pois contém potássio, mas também contém cloreto e também tem um efeito acidificante.
Os dois efeitos anulam-se, e o seu corpo permanece tão ácido quanto antes.
Bicarbonato de potássio: ganhar em ambos os sentidos.
Felizmente existe um outro sal de potássio, que não tem as desvantagens do cloreto de potássio.
Este é o bicarbonato de potássio (e também o citrato de potássio).
Bicarbonato de potássio tem a dupla vantagem, de subir o seu nível de potássio, e ter um efeito alcalinizante no seu corpo, uma vez que não contém cloro.
Note-se não só o efeito de reduzir o risco de osteoporose, porque o potássio também reduz o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral, diminuindo a pressão arterial.
Uma meta-análise publicada no periódico “Stroke” confirmou de maneira particularmente clara, os benefícios do potássio na saúde cardiovascular. Pesquisadores do Instituto Karolinska na Suécia passaram em revista 10 estudos em perspectiva, incluindo 268.276 pessoas, a fim de avaliar a relação entre a ingestão de potássio, e o risco de acidente vascular cerebral.
Resultados: quanto maior a ingestão de potássio, menos importante é o risco de acidente vascular cerebral. O consumo de 1gr por dia, de potássio extra, está associado a uma diminuição de 11% de risco de AVC hisquémico, que é a forma mais comum de AVC.
Uma ingestão alta de potássio também está associada, a um risco reduzido de ataque cardíaco, de acordo com vários estudos, tendo sido o último realizado entre mais de 12.000 adultos norte-americamos.

Para comprar, aqui

Mas não é tudo, o potássio tem outras funções importantes:

O potássio permite a transmissão de impulsos nervosos no corpo; É essencial para a contracção muscular, incluindo o músculo cardíaco; Participa no funcionamento dos rins e glândulas supra-renais; O potássio contribui para muitas reacções enzimáticas na síntese de proteínas e metabolismo de hidratos de carbono entre outros.
Se o seu médico recomendar, pode tomar um suplemento dietético, que contém citrato ou bicarbonato de potássio. Um tal suplemento pode ajudar a equilibrar o balanço ácido-base. Além disso, os estudos têm mostrado que melhora a densidade óssea. Em caso de desequilíbrio, uma pessoa saudável pode tomar diariamente 1.000mg de bicarbonato de potássio.
O seu médico pode-lhe dizer se o seu corpo é ácido, por meio de testes de saliva ou urina. O bicarbonato de potássio esteve durante muitos anos disponíveis em farmácias, atualmente já não possível pedir que lhe façam uma preparação, de acordo com as suas necessidades.


Para comprar, aqui


A votre Santé
Jean-Marc Dupuis

Texto traduzido e adaptado por Maria Gomes




Observações: O pH ou “potencial de hidrogénio”, é uma medida de acidez. Sempre que uma substância tem um pH superior a 7, é chamado de “básico” ou “alcalino”. Se o pH é abaixo de 7, é chamado de “ácido”.


O ponto de vista do Dr. Gerard Mégret

Informações interessantes sobre os efeitos positivos, do suplemento de citrato ou bicarbonato de potássio.
Dois comentários importantes, contudo, Um Rousseuismo ecológico bem pensado, muitas vezes compara o homem moderno com o Neandertal de Cro-Magnon. No entanto, as condições de vida, o gasto energético, e consequentemente, alimentos para diferentes metabolismos, diferem consideravelmente. Difícil, de procurar referências alimentares ideais, que remontam pelo menos a 15.000 anos. Além disso, se ”carências” podem existir em países desenvolvidos, a experiência mostra que são encontradas mais facilmente (e em muitos factores nutricionais essenciais) nos países onde há subnutrição.
Estas limitações delineadas, os estudos apresentados parecem muito favoráveis a um suplemento de potássio, especialmente em doentes com acidose, que deve ser bem orientada. O espírito crítico deverá de fazer uma pergunta, da casualidade desta condição ácida. A ingestão de potássio, pode fazer pensar, como encher um pneu que está a vazar com um baixo nível de ruído.
Finalmente, sobre a osteoporose, deve-se notar que as avaliações biológicas, de rotina do sangue e da urina, especialmente que aqueles em cálcio e potássio, são normais. Isto mostra que esta condição é mais complexa, do que parece, e não constitui um vazamento de cálcio renal. 





Comentários

Mensagens populares deste blogue

5-HTP, alternativa natural contra a depressão

DESCRIÇÃO

5-HTP é o acrónimo de 5-hidroxitriptofano (ou 5-hidroxi-L-triptofano). Trata-se de um composto que se encontra fundamentalmente no cérebro. O 5-HTP forma-se a partir do triptofano, um aminoácido natural presente na dieta. O triptofano é um aminóacido essencial, o que significa que não pode ser fabricado pelo organismo e que deve obter-se a partir dos alimentos, especialmente das proteínas. No fígado e no cérebro, o 5-HTP transforma-se num neurotransmissor muito importante denominado serotonina. Os neurotransmissores são mensageiros químicos que transmitem sinais entre os neurónios no cérebro. 
A ingestão do 5-HTP aumenta a provisão corporal desta substância, o que dá lugar a níveis aumentados de serotonina no cérebro. A serotonina, também denominada 5-hidroxitriptamina ou 5-HT, desempenha um papel muito importante no controlo do comportamento e do humor. Influi em muitas actividades cerebrais normais e também actua como um grande regulador da actividade de outros neurotransm…

Melatonina: Um sonífero natural

A União Europeia finalmente autorizou um produto natural que ajuda a dormir melhor: A Melatonina
Se me pede a minha opinião, as pessoas que interditaram esta substância natural durante tantos anos, sem qualquer argumento científico, considerando que os distúrbios do sono afectam 25 a 40% da população, cometeram um crime grave contra os seus concidadãos.
Mas sejamos positivos, e voltemos aos benefícios que se podem ter ao tomar a melatonina:
Um meio eficaz contra a insónia
Assim que a luz do dia enfraquece, a sua glândula pineal, que está localizado no seu cérebro começa a secretar melatonina. Esta substância, que é uma hormona natural, prepara o corpo para dormir e descansar.
Com efeito, a glândula pineal está directamente ligado ao nervo óptico: ela está em sintonia com a luz. É por isso que a melatonina é conhecida como a hormona que regula o relógio biológico, também conhecido como ritmo vigília-sono ou o ritmo circadiano. É por isso que as pessoas cegas, muitas vezes têm problemas …

Os terríveis malefícios da Candida Albicans

Quando está infectada de Candida albicans, dizemos que tem "sapinho" ou mais precisamente "candidíase", a infecção fúngica mais comum. Candidíase é mais conhecida, para o público em geral, na forma de "sapinhos", essas manchas brancas na boca e lábios, coceira horrível. Os “sapinhos” afetam principalmente crianças e pessoas com sistema imunológico debilitado, (pessoas tratadas com antibióticos, quimioterapia ou com AIDS). O diagnóstico é óbvio, a maioria dos médicos não se enganam
Mas, na realidade, as nossas sociedades industriais estão infectadas com Candida albicans, muito além de pessoas que sofrem de aftas: 90% dos americanos têm uma taxa mais elevada do que o normal de Candida albicans no intestino; 80 milhões de pessoas estão infectadas, e 70% são mulheres. 
Muita da população tem micoses nos dedos, sob as unhas e, muitas vezes: mais frequentemente colónias de Candida albicans.
Começa com pequenas espinhas vermelhas nos dedos. As unhas dos pés tor…