Avançar para o conteúdo principal

Cardo-mariano (Silybum marianum)


O Cardo-mariano, é uma planta que se utiliza para tratar as perturbações do fígado, problemas da lactância materna, assim como outras doenças. 
O ingrediente activo da planta, a silimarina, encontra-se nas sementes maduras. O cardo-mariano tem um caule comprido, folhas verdes com manchas brancas e folhas cor de rosa ou purpura. É originário da Europa e cresce de forma selvagem em toda a América. Os benefícios medicinais do Cardo-mariano reconhecem-se desde há mais de 2.000 anos. Encontram-se registos escritos da sua utilização já no séc. I, quando os romanos usavam a planta como um agente protector do fígado. Também se usou com frequência na Idade Média; na literatura herbácea, fala-se das suas propriedades medicinais. Nos séculos XVIII e XIX encontram-se registos de médicos de todo o mundo que prescreviam esta substancia.
O ingrediente activo do Cardo-mariano, a silimarina, foi separado, pela primeira vez da planta por cientistas alemães na década de 1960. 
O caule e as folhas de Cardo-mariano são comestíveis e podem usar-se em saladas e comer-se cruas. A planta cultivou-se como uma verdura comestível na Europa até finais do século XIX.

Utilização geral

O Cardo-mariano prescreve-se para diferentes usos medicinais, entre eles o tratamento e a prevenção de doenças hepáticas, o tratamento do vírus da imunodeficiência humana, problemas da lactância, perturbações da vesícula biliar, , intoxicação por cogumelos e psoriase, uma doença da pele que se caracteriza por manchas avermelhadas.

Doença hepática

Julga-se que o Cardo-mariano favorece o crescimento das células hepáticas saudáveis ao unir-se às membranas celulares. Prescreve-se para a cirrose, a hepatite e outras perturbações hepáticas. Diversos estudos clínicos demonstraram que os doentes com cirrose que tomam doses diárias de extracto de Cardo-mariano têm uma mortalidade menor.
Além disso, o Cardo-mariano tem um efeito protector do fígado e receita-se, por vezes, aos doentes que podem sofrer lesões do órgão, ou aos que estão expostos a substancias hepatotóxicas como o chumbo. 
Recentemente, iniciou-se um estudo sobre o valor medicinal do Cardo-mariano no tratamento da hepatite e das lesões hepáticas. 

Mais informações, aqui


Tratamento do vírus da imunodeficiência humana (VIH)

O cardo-mariano prescreve-se, às vezes, a doentes do VIH positivos para proteger o fígado  de doenças como a hepatite e prevenir os efeitos hepatóxicos dos medicamentos prescritos para o tratamento do (VIH).

Problemas de lactância 

O Cardo-mariano receita-se, frequentemente, às mães que amamentam para favorecer o aumento da secreção de leite. Embora se considere inócuo para essas mães, deve ser prescrito por um fito-terapeuta, um médico naturopata ou um profissional sanitário familiarizado com a sua utilização.

Prevenção do cancro

Os componentes activos do Cardo-mariano, a silimarina (um complexo de flavonoides) e o seu constituinte, a silibina, actuam como antioxidantes. Esta substancias demonstraram que atrasam o crescimento celular em alguns tipos de cancro.

Perturbações da vesícula biliar

O Cardo-mariano pode evitar a inflamação dos canais da vesícula biliar e, portanto, melhorar a icterícia

Intoxicação por cogumelos

O Cardo- mariano é o único antídoto conhecido da intoxicação pelo cogumelo Amanita phalloides. A ingestão deste fungo mortal pode destruir o fígado ao degradar a produção proteica das células hepáticas. O Cardo-mariano neutraliza estas toxinas e protege o fígado.

Psoriase

Devido aos facto de o fígado neutralizar algumas toxinas associadas às crises de psoriase, julga-se que o Cardo-mariano ajuda a prevenir os reaparecimentos de psoriase ao favorecer uma função hepática adequada. Actualmente, estão a ser investigadas outras indicações da planta. As propriedades antioxidantes do Cardo-mariano têm efeito curativo sobre as feridas cutâneas e as queimaduras. O cardo também foi proposto como agente cosmético para manter o tom e a qualidade da pele. Necessitam-se de novos estudos para provar a eficácia da planta para estas aplicações.

Preparações

O cardo-mariano encontra-se em forma de sementes, cápsulas, extractos e tinturas. Uma tintura é uma preparação herbácea fabricada, diluindo a planta em álcool. As tinturas de Cardo-mariano tomam-se em doses de 1 a 2 ml três vezes ao dia.
A semente de cardo-mariano tem uma escassa solubilidade em agua, pelo que a infusão feita a partir da planta é mais suaves que as tinturas e extractos de cardo-mariano.
A infusão prepara-se com uma chávena de água a ferver e uma colherzinha de sementes que se trituram até obter uma textura muito fina. Depois de 10 a 20 minutos de repouso, a mistura-se filtra-se e toma-se. Em vez de a filtrar, a planta pode pode ser colocada numa saqueta de infusão ou num recipiente que se retira da água depois de o manter algum tempo. Podem-se tomar duas ou três chávenas diárias desta infusão. 
A semente do Cardo-mariano também se toma por via oral, em doses de uma colher  de chá por dia. A planta deve guardar-se sempre num recipiente hermeticamente fechado, em lugar fresco e longe da luz brilhante para manter as suas potencialidade.

Gravidez

O Cardo-mariano é considerado inócuo para o seu uso durante a gravidez e recomenda-se para algumas mulheres que amamentam. No entanto, actualmente não existem estudos a longo prazo sobre o uso da planta durante a gravidez. Qualquer mulher gravida que deseja tomar Cardo-mariano deve consultar o seu médico, assim como antes de tomar qualquer medicamento.

Efeitos secundários

O Cardo-mariano pode provocar náuseas e diarreias leves. A planta também produz reacções alérgicas em algumas pessoas. Não se conhecem outros efeitos secundários importantes quando o Cardo-mariano se toma em doses terapêuticas adequadas. Contudo, as pessoas que têm uma perturbação médica crónica devem consultar sempre o seu médico antes de tomar a planta. 

Mais informações aqui



Bibliografia: Manual de Medicinas Complementares

Comentários

Mensagens populares deste blogue

5-HTP, alternativa natural contra a depressão

DESCRIÇÃO

5-HTP é o acrónimo de 5-hidroxitriptofano (ou 5-hidroxi-L-triptofano). Trata-se de um composto que se encontra fundamentalmente no cérebro. O 5-HTP forma-se a partir do triptofano, um aminoácido natural presente na dieta. O triptofano é um aminóacido essencial, o que significa que não pode ser fabricado pelo organismo e que deve obter-se a partir dos alimentos, especialmente das proteínas. No fígado e no cérebro, o 5-HTP transforma-se num neurotransmissor muito importante denominado serotonina. Os neurotransmissores são mensageiros químicos que transmitem sinais entre os neurónios no cérebro. 
A ingestão do 5-HTP aumenta a provisão corporal desta substância, o que dá lugar a níveis aumentados de serotonina no cérebro. A serotonina, também denominada 5-hidroxitriptamina ou 5-HT, desempenha um papel muito importante no controlo do comportamento e do humor. Influi em muitas actividades cerebrais normais e também actua como um grande regulador da actividade de outros neurotransm…

Melatonina: Um sonífero natural

A União Europeia finalmente autorizou um produto natural que ajuda a dormir melhor: A Melatonina
Se me pede a minha opinião, as pessoas que interditaram esta substância natural durante tantos anos, sem qualquer argumento científico, considerando que os distúrbios do sono afectam 25 a 40% da população, cometeram um crime grave contra os seus concidadãos.
Mas sejamos positivos, e voltemos aos benefícios que se podem ter ao tomar a melatonina:
Um meio eficaz contra a insónia
Assim que a luz do dia enfraquece, a sua glândula pineal, que está localizado no seu cérebro começa a secretar melatonina. Esta substância, que é uma hormona natural, prepara o corpo para dormir e descansar.
Com efeito, a glândula pineal está directamente ligado ao nervo óptico: ela está em sintonia com a luz. É por isso que a melatonina é conhecida como a hormona que regula o relógio biológico, também conhecido como ritmo vigília-sono ou o ritmo circadiano. É por isso que as pessoas cegas, muitas vezes têm problemas …

Os terríveis malefícios da Candida Albicans

Quando está infectada de Candida albicans, dizemos que tem "sapinho" ou mais precisamente "candidíase", a infecção fúngica mais comum. Candidíase é mais conhecida, para o público em geral, na forma de "sapinhos", essas manchas brancas na boca e lábios, coceira horrível. Os “sapinhos” afetam principalmente crianças e pessoas com sistema imunológico debilitado, (pessoas tratadas com antibióticos, quimioterapia ou com AIDS). O diagnóstico é óbvio, a maioria dos médicos não se enganam
Mas, na realidade, as nossas sociedades industriais estão infectadas com Candida albicans, muito além de pessoas que sofrem de aftas: 90% dos americanos têm uma taxa mais elevada do que o normal de Candida albicans no intestino; 80 milhões de pessoas estão infectadas, e 70% são mulheres. 
Muita da população tem micoses nos dedos, sob as unhas e, muitas vezes: mais frequentemente colónias de Candida albicans.
Começa com pequenas espinhas vermelhas nos dedos. As unhas dos pés tor…