Avançar para o conteúdo principal

Fibromialgia




DEFINIÇÃO

A fibromialgia descreve-se como uma inflamação do tecido fibroso ou conjuntivo do corpo. Esta perturbação caracteriza-se por dor muscular disseminada, fadiga e múltiplos pontos dolorosos. Muitas pessoas com fibromialgia descrevem os sintomas como semelhantes às dores provocadas pela gripe. Fibrosite, fibromialgia e fibriomiosite são nomes que se dão a grupos de sintomas que se julga serem causados pelo mesmo problema geral.

DESCRIÇÃO
A fibromialgia é mais frequente do que se pensava, dado que afecta aproximadamente 3 a 6% da população. É mais prevalecente em adultos que em crianças, sobretudo nas mulheres, e especialmente na idade reprodutora.


CAUSAS E SINTOMAS

Não se conhece a causa exacta da fibromialgia. Por vezes verifica-se em vários membros de uma família, o que sugere que poderá ser uma perturbação hereditária. As pessoas com fibromialgia queixam-se, com maior frequência, de três sintomas principais: dor muscular e articular, rigidez e fadiga.
A dor é o principal sintoma, com hipersensibilidade e rigidez de múltiplos músculos, articulações e tecidos moles. Tem tendência também a deslocar-se de uma parte do corpo para outra e é mais frequente no pescoço, nos ombros, no peito, nos braços, nas pernas e nas costas. Embora a dor persista a maior parte do tempo, podendo durar anos, a sua intensidade pode flutuar.
Os sintomas da fadiga podem derivar da dor crónica da pessoa junto com a ansiedade sobre o problema e a forma de encontrar alívio. O processo inflamatório reduz também os produtos químicos que provocam a fadiga. Outros sintomas comuns são a dor de cabeça tensional, dificuldade para engolir, dor abdominal recorrente, diarreia e tumefacção ou tremor das extremidades. O stress, a ansiedade, a depressão ou a falta de sono podem potenciar estes sintomas. A intensidade dos sintomas é variável e oscila de uma melhoria gradual até episódios recorrentes.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é difícil e frequentemente passa despercebido, porque os sintomas de fibromialgia são vagos e generalizados. As perturbações nervosas e musculares intercorrentes como a artrite reumatoide, a artrite espinal ou a doença de Lyme podem complicar o processo de diagnóstico. Actualmente, não existem exames disponíveis para diagnosticar especialmente a fibromialgia. O diagnóstico costuma fazer-se depois de se ter afastado outras perturbações médicas com sintomas semelhantes.
Devido ao stress emocional que as pessoas sofrem com esta doença e à influência do stress sobre os próprios sintomas, a fibromialgia foi, frequentemente, etiquetada como um problema psicológico. O reconhecimento de um processo inflamatório subjacente implicado na fibromialgia ajudou a reconhecer esta doença.
As instituições reumatológicas desenvolveram padrões para o diagnóstico da fibromialgia, para que os médicos de cuidados primários possam diagnosticar a doença. De acordo com estes padrões, considera-se que uma pessoa tem fibromialgia se apresentar uma dor difusa em combinação com mal-estar em, pelo menos 11 pontos dos 18 pontos do corpo que se consideram desencadeantes. Estes pontos estão na base do pescoço, ao longo da coluna vertebral, em frente da anca e do cotovelo e por detrás dos joelhos e dos ombros.

TRATAMENTO
Não existe terapia conhecida para a fibromialgia. Portanto, o objectivo do tratamento é o controlo efectivo dos sintomas. O tratamento costuma necessitar de combinação de terapia, exercício e ajustamentos no estilo de vida. O repouso adequado é essencial no tratamento da fibromialgia. A dieta deve incluir uma ampla variedade de frutas e de verduras, que proporcionam ao corpo elementos e minerais necessários para a saúde dos músculos. Devem evitar-se alimentos ou bebidas estimulantes (como o café) e recomendam-se medicamentos descongestionantes antes de o doente se deitar. É imperativa uma compreensão clara por parte do doente do seu papel na recuperação para controlar com êxito esta perturbação.
Os tratamentos recomendáveis incluem a aplicação de compressas quentes e ocasionalmente frias. Costuma ser útil um programa de alongamentos regulares. As actividades aeróbicas centradas no aumento da frequência cardíaca são a forma preferida de exercícios. Os programas de exercícios devem incluir sessões de aquecimento e de arrefecimento adequadas, prestando especial atenção a evitar exercícios que provocam dor articular. Os exercícios de hidroterapia (numa banheira ou numa piscina) costumam ser úteis para oferecer uma actividade de baixo impacto, ao mesmo tempo que relaxam os músculos e eliminam a dor articular.
A terapia por massagem é um bom remédio, especialmente quando um membro da família aprende uma técnica específica de massagem para tratar os episódios sintomáticos. As sessões curtas são mais úteis que os movimentos repetidos, que podem agravar a perturbação. Deve prestar-se especial atenção à saúde mental através da consulta psicológica, que também é importante, dado que a depressão pode proceder ou acompanhar a fibromialgia. Os exercícios de relaxação, ioga, aromaterapia, imagens dirigidas e outras terapias de relaxação podem ser úteis para melhorar o stress e favorecer o bem-estar global. A acupunctura pode aliviar os sintomas e melhorar a saúde geral. Os fitoterapeutas e os aromaterapeutas costumam recomendar banhos ou compressas com alfazema (Lavandula angustifólia), camomila (Chamaemelum nobilis) ou zimbro-comum (Juniperus communis) para melhorar a dor muscular e articular.

  
PREVENÇÃO

Não existe uma forma conhecida ou específica de prevenir a fibromialgia. No entanto, tal como noutras perturbações médicas, a principal prevenção é manter a melhor saúde possível com uma boa dieta, um exercício continuado e um repouso adequado.

Os suplementos co-adjuvantes para uma melhor qualidade vida, consultar aqui: 

FIBROMIALGIA





Bibliografia: Manual de Medicinas Complementares

Comentários

Mensagens populares deste blogue

5-HTP, alternativa natural contra a depressão

DESCRIÇÃO

5-HTP é o acrónimo de 5-hidroxitriptofano (ou 5-hidroxi-L-triptofano). Trata-se de um composto que se encontra fundamentalmente no cérebro. O 5-HTP forma-se a partir do triptofano, um aminoácido natural presente na dieta. O triptofano é um aminóacido essencial, o que significa que não pode ser fabricado pelo organismo e que deve obter-se a partir dos alimentos, especialmente das proteínas. No fígado e no cérebro, o 5-HTP transforma-se num neurotransmissor muito importante denominado serotonina. Os neurotransmissores são mensageiros químicos que transmitem sinais entre os neurónios no cérebro. 
A ingestão do 5-HTP aumenta a provisão corporal desta substância, o que dá lugar a níveis aumentados de serotonina no cérebro. A serotonina, também denominada 5-hidroxitriptamina ou 5-HT, desempenha um papel muito importante no controlo do comportamento e do humor. Influi em muitas actividades cerebrais normais e também actua como um grande regulador da actividade de outros neurotransm…

Melatonina: Um sonífero natural

A União Europeia finalmente autorizou um produto natural que ajuda a dormir melhor: A Melatonina
Se me pede a minha opinião, as pessoas que interditaram esta substância natural durante tantos anos, sem qualquer argumento científico, considerando que os distúrbios do sono afectam 25 a 40% da população, cometeram um crime grave contra os seus concidadãos.
Mas sejamos positivos, e voltemos aos benefícios que se podem ter ao tomar a melatonina:
Um meio eficaz contra a insónia
Assim que a luz do dia enfraquece, a sua glândula pineal, que está localizado no seu cérebro começa a secretar melatonina. Esta substância, que é uma hormona natural, prepara o corpo para dormir e descansar.
Com efeito, a glândula pineal está directamente ligado ao nervo óptico: ela está em sintonia com a luz. É por isso que a melatonina é conhecida como a hormona que regula o relógio biológico, também conhecido como ritmo vigília-sono ou o ritmo circadiano. É por isso que as pessoas cegas, muitas vezes têm problemas …

Os terríveis malefícios da Candida Albicans

Quando está infectada de Candida albicans, dizemos que tem "sapinho" ou mais precisamente "candidíase", a infecção fúngica mais comum. Candidíase é mais conhecida, para o público em geral, na forma de "sapinhos", essas manchas brancas na boca e lábios, coceira horrível. Os “sapinhos” afetam principalmente crianças e pessoas com sistema imunológico debilitado, (pessoas tratadas com antibióticos, quimioterapia ou com AIDS). O diagnóstico é óbvio, a maioria dos médicos não se enganam
Mas, na realidade, as nossas sociedades industriais estão infectadas com Candida albicans, muito além de pessoas que sofrem de aftas: 90% dos americanos têm uma taxa mais elevada do que o normal de Candida albicans no intestino; 80 milhões de pessoas estão infectadas, e 70% são mulheres. 
Muita da população tem micoses nos dedos, sob as unhas e, muitas vezes: mais frequentemente colónias de Candida albicans.
Começa com pequenas espinhas vermelhas nos dedos. As unhas dos pés tor…