Avançar para o conteúdo principal

Um mineral essencial: Magnésio



Nos países industrializados, uma mulher em cada quatro e um homem em cada seis, têm falta de magnésio. 

Isso quer dizer que corre um risco maior de:

  • Doença cardio-vascular (ataque cardíaco, acidente vascular cerebral, paralisia).
  • Hipertensão.
  • Problemas de memória e diminuição da capacidade de aprendizagem.
  • Fragilidade óssea, fracturas, osteoporose.
  • Obesidade, diabetes, o colesterol elevado (sintomas agrupadas com o  nome de "síndrome metabólica").

Indispensável em 300 reacções químicas vitais

O magnésio é essencial para mais de 300 reacções enzimáticas no corpo. Sem ele, as reacções químicas normais nas suas células, músculos, nervos, não existem.
O magnésio permite que o coração bata regularmente, ajuda o funcionamento do sistema imunológico (defesa contra agressões de microrganismos, bactérias e vírus) e mantém a saude dos ossos.
O magnésio também ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue, promove a pressão arterial normal e está envolvido na síntese de proteínas e no metabolismo energético (produz energia no seu corpo e mente).

Uma alimentação tragicamente deficitária

Durante milhões de anos, os homens desenvolveram-se com base numa dieta muito rica em magnésio. Infelizmente, a evolução da dieta moderna tem criado uma situação de alarme, onde o consumo diário deste mineral, tornou-se tão baixo que a população tem falta de magnésio.

Cada vez mais, a dieta habitual nos países ocidentais mantêm um permanente ligeiro estado de acidose metabólica, devido à preponderância de alimentos de origem animal em frutas e legumes. Esta acidose metabólica aumenta a excreção urinária de magnésio (perda de magnésio através da urina).


Efeito protector para o coração e artérias

Algumas pesquisas sugerem que um deficit de magnésio iria promover a arterosclerose. Em diversos modelos experimentais, o deficit de magnésio favorece a dislipidemia, aumenta a peroxidação, as lipoproteínas e induz uma resposta inflamatória. Por outro lado, demonstrou-se que o magnésio diminui a inflamação, o stress oxidativo e disfunção endotelial. Ajuda também a reduzir a agregação de plaquetas e, por conseguinte, a prevenis a formação de coágulos sanguíneos.
Recentemente, pesquisadores britânicos passaram em revista a literatura médica para decidir sobre os efeitos reais do magnésio sobre a pressão arterial. Resultados: Com uma suplementação média de 410mg de magnésio por dia, constataram uma diminuição da pressão arterial sistólica, de 3 a 4 pontos e 2 a 3 pontos para a pressão arterial diastólica. Também notaram que o efeito parece ser dependente da dose utilizada: uma dose mais forte traz mais vantagens. O magnésio pode ser usado em vez de medicamentos, especialmente, porque não causa quaisquer efeitos secundários graves.

Melhor cérebro, melhor memória

Magnésio melhora a função cerebral. Os dados científicos sugerem que a deficiência de magnésio prejudica a capacidade da memória e aprendizagem, enquanto a suplementação, mesmo que apenas com a dose diária recomendada (375 mg) pode melhorar o funcionamento cognitivo. O magnésio é essencial para a actividade de várias enzimas nas células cerebrais que controlam o funcionamento celular e da memória. Intervém igualmente na libertação de neurotransmissores. Os pesquisadores também descobriram que o magnésio ajuda a acelerar a recuperação da função cognitiva resultante da lesão cerebral induzida experimentalmente. A manutenção de níveis ideais de magnésio pode ser particularmente importante para evitar ou compensar o declínio da memória, que muitas vezes acompanha o envelhecimento.  

Indispensável à saúde dos ossos

O magnésio é um elemento essencial na protecção contra a osteoporose, diminuição da massa e da densidade óssea. Em dois estudos separados, os pesquisadores descobriram que a ingestão inadequada de magnésio diminui a densidade mineral óssea, enquanto que uma ingestão adequada por meio de fontes de alimentos aumenta, pode reduzir o risco de osteoporose e fracturas ósseas. Ambos os estudos demonstraram que quanto maior o consumo de magnésio, mais forte é a densidade mineral do osso.

Efeito anti-envelhecimento

O magnésio é um mineral absolutamente essencial para manter a saúde óptima, apesar da passagem dos anos. Estudos enfatizam que desempenha um papel importante na manutenção óssea e saúde do coração, e no bom funcionamento do sistema nervoso. O magnésio pode ajudar a aliviar muitos problemas de saúde, incluindo asma  e enxaqueca.

O efeito protector do magnésio contra o síndrome metabólico

Num estudo epidemiológico de cinco anos com mais de 1.000 indivíduos saudáveis, os cientistas mostraram que uma elevada ingestão de magnésio foi associado a uma melhor sensibilidade à insulina. Noutro estudo muito convincente, os pesquisadores examinaram a relação entre a ingestão de magnésio e o desenvolvimento da síndrome metabólica em jovens adultos e saudáveis, Quase 5.000 americanos com idades entre 18 e 30 anos foram acompanhados durante 15 anos. Os resultados mostraram que um significativo consumo de magnésio, reduz o risco da síndrome metabólica 31%. Quanto maior o consumo de magnésio, mais o açúcar no sangue baixa e a lipoproteína tem uma alta densidade (HDL, ou colesterol "bom") são elevados. Uma ingestão de magnésio pode, portanto, oferecer proteção contra a síndrome metabólica.
A deficiência de magnésio é particularmente comum em pacientes diabéticos, podem representar um factor para a resistência à insulina, pode contribuir para um círculo vicioso que leva à deterioração progressiva e alterações metabólicas. Também tem sido implicada no desenvolvimento de complicações diabéticas.

Resumindo, é realmente, uma mineral essencial que não deve faltar.

As nossas sugestões de suplementos de magnésio de alta qualidade e certificados:
Mais informações
Mais informações


Mais informações
Mais informações
Mais informações











À vossa saúde!

Texto original: Jean-Marc Dupuis
Tradução e adaptação: Eugénia Gomes

Comentários

Mensagens populares deste blogue

5-HTP, alternativa natural contra a depressão

DESCRIÇÃO

5-HTP é o acrónimo de 5-hidroxitriptofano (ou 5-hidroxi-L-triptofano). Trata-se de um composto que se encontra fundamentalmente no cérebro. O 5-HTP forma-se a partir do triptofano, um aminoácido natural presente na dieta. O triptofano é um aminóacido essencial, o que significa que não pode ser fabricado pelo organismo e que deve obter-se a partir dos alimentos, especialmente das proteínas. No fígado e no cérebro, o 5-HTP transforma-se num neurotransmissor muito importante denominado serotonina. Os neurotransmissores são mensageiros químicos que transmitem sinais entre os neurónios no cérebro. 
A ingestão do 5-HTP aumenta a provisão corporal desta substância, o que dá lugar a níveis aumentados de serotonina no cérebro. A serotonina, também denominada 5-hidroxitriptamina ou 5-HT, desempenha um papel muito importante no controlo do comportamento e do humor. Influi em muitas actividades cerebrais normais e também actua como um grande regulador da actividade de outros neurotransm…

Falta de acidez no estômago - Hipoclorídria

Cãibras nas pernas durante a noite

Nunca lhe acontece acordar durante a noite com cãibras nas pernas, mesmo que não tenha feito qualquer esforço físico em particular? Você tem mais de 40 anos? Já experimentou tomar magnésio, cálcio, potássio - e, talvez, a vitamina E - e as suas cãibras aliviam um pouco, sem no entanto desaparecerem?
Se este for o seu caso, pode estar a sofrer de hopocloridria, um problema de saúde relacionado com a falta de ácido no estômago. O ácido no seu estômago é bom para si!
As paredes do estômago segregam pelo menos três litros de ácido por dia. Isto é feito através das células que revestem a parede do estômago, e são capazes de "bombear protões", isto para dizer, que para bombear iões hidrogenados do sangue, e de os trazer para o estômago. O ácido gástrico é, portanto, um concentrado de íoes hidrogenados (isto não é um curso de química, convido os leitores interessados a aprender mais sobre este fenómeno interessante, na página do Wikipedia correspo…

Os terríveis malefícios da Candida Albicans

Quando está infectada de Candida albicans, dizemos que tem "sapinho" ou mais precisamente "candidíase", a infecção fúngica mais comum. Candidíase é mais conhecida, para o público em geral, na forma de "sapinhos", essas manchas brancas na boca e lábios, coceira horrível. Os “sapinhos” afetam principalmente crianças e pessoas com sistema imunológico debilitado, (pessoas tratadas com antibióticos, quimioterapia ou com AIDS). O diagnóstico é óbvio, a maioria dos médicos não se enganam
Mas, na realidade, as nossas sociedades industriais estão infectadas com Candida albicans, muito além de pessoas que sofrem de aftas: 90% dos americanos têm uma taxa mais elevada do que o normal de Candida albicans no intestino; 80 milhões de pessoas estão infectadas, e 70% são mulheres. 
Muita da população tem micoses nos dedos, sob as unhas e, muitas vezes: mais frequentemente colónias de Candida albicans.
Começa com pequenas espinhas vermelhas nos dedos. As unhas dos pés tor…