Avançar para o conteúdo principal

Silício Orgânico, o que é?


O silício orgânico pode ser uma solução muito interessante para as pessoas que sofrem de osteoartrite, e pode tratar muitas outras doenças, tais como osteoporose, aterosclerose (lesões nas artérias), muitos problemas de pele e de cabelo, fortalecimento do sistema imunológico. É por isso, que hoje, dedicamos-lhe um artigo completo.

As origens do silício orgânico

Areia, quartzo, e muitas outras rochas são feitas à base de silício, que é, o segundo elemento mais abundante na crosta terrestre, depois do oxigénio e antes do alumínio.

Mas acontece que  também existe silício no nosso corpo, e especialmente no nosso tecido conjuntivo, ou seja, nos ossos, cartilagens, pele e tecidos de suporte.

O silício é um dos mais importantes minerais presentes no corpo humano: o nosso organismo contém cerca de 7 gr, contra 2 gr de zinco e 4 gr de ferro, portanto é muito importante.

Com a idade, as reservas de silício diminuem de forma alarmante. E a alimentação moderna, como de costume, agrava as coisas, porque não consumimos muitos alimentos ricos em silício: cereais, frutas e legumes de qualidade e água mineral. A água da torneira, em particular, hoje em dia é sistematicamente inundada por alumínio, que remove a maior parte dos silicatos.

No entanto, o silício é necessário para a biossíntese de muitas moléculas, tais como o colagénio, a elastina e o ácido hialurónico, componentes essenciais do sistema de cartilagem, ossos, pele e sistema imunitário. O silício também entra na constituição do cabelo e das unhas.

Passemos brevemente em revista os seus efeitos sobre as diferentes doenças:  

Osteoartrite: o silício é essencial para a síntese de glicosaminoglicanas, encontradas em abundância na cartilagem. A deficiência de silício pode, assim, provocar osteoartrite, que é causada por um problema de regeneração da cartilagem. Estudos sobre cartilagem embrionária mostram que o seu crescimento está relacionado com a presença de silício, que catalisa a prolil hidroxilase essencial para a biossíntese do colagénio e das glicosaminoglicanas.

Doenças cardiovasculares: o silício intervém na síntese e no arranjo das fibras de elastina e colagénio, constituintes das paredes arteriais, as quais melhoram a flexibilidade. Seria uma excelente protecção contra a aterosclerose, doença cardiovascular que pode causar ataque cardíaco, e reduz a hipertensão. As análises da composição das artérias saudáveis, e fortemente danificadas pela placa aterosclerótica, mostrou claramente uma baixa taxa de silício nas artérias doentes.

Problemas de pele: quanto mais a pele é rica em silício, mais ela é flexível, espessa, pouco enrugada, e cicatriza mais facilmente. Com efeito, o tecido da derme localizado sob a pele alimenta-a, comporta uma matriz extracelular que é constituída por fibras de colagénio, elastina e glicosaminoglicanos. Como vimos, o silício é essencial para a criação e renovação dessas fibras. Um baixo teor de silício está também associado a problemas de pele, como a psoríase.

Cabelo: o silício impede a perda de cabelo e promove o crescimento, agindo sobre a raiz.

Uma substância interessante contra o envelhecimento

O silício é um instrumento fundamental na luta contra o envelhecimento:
. o envelhecimento ao nível  articular com osteoartrite;
. o envelhecimento ósseo com a osteoporose;
. o envelhecimento da pele, com as rugas e problemas de cicatrização;
. o envelhecimento das artérias com a aterosclerose.

Diferentes estudos mostraram que existe uma diminuição significativa das taxas de silício, para cima de 80%, especialmente na pele e nas artérias com a idade, e em particular nas mulheres a partir da menopausa.

Será que isso significa atirar-se à primeira pilha de areia, para reabastecer as suas reservas de silício?

Será suficiente comer areia para restabelecer o equilíbrio ?

Ai, não, não é tão simples. A areia contém uma grande quantidade de silício, mas, oxidados e inertes. Provavelmente não tem valor terapêutico, uma vez que não pode ser assimilada pelo organismo.

Eu escrevo "provavelmente" porque, por incrível que pareça, existe no Norte de África a tradição de enterrar na areia, as pessoas que sofriam de  reumatismo. Segundo Loïc Le Ribault, os grãos de areia teriam apenas à sua superfície uma camada fina de silício orgânico, isto é, activo e assimilado pelo organismo, e especialmente eficaz contra a osteoartrite, osteoporose, problemas de pele e arteriosclerose.

Estas declarações, no entanto, nunca foram comprovadas por pesquisas independentes, deixe-mo-las de lado aqui. Voltamos à areia, então.

Se comer areia, não temos nenhum efeito benéfico, uma vez que de qualquer maneira, será evacuada através do seu corpo sem ter sido absorvida.

Mas o silício também se encontra na natureza na forma de: "coloidal", que é, como dizer, por micropartículas em suspensão num líquido, tal como a seiva de certas plantas: a urtiga, a cavalinha e o bambu.

No entanto, mesmo na forma "coloidal", trata-se de uma forma mineral, muito mal absorvida pelo organismo. Apenas 1 a 10% conseguiram passar a barreira intestinal. Para a pequena parte que conseguirá passar no seu sangue, a maioria nunca entrará ao nível das células e do tecido conjuntivo. Será eliminada pelos rins,  na urina. Fará bem em comer 15-40 mg por dia, se  tem uma alimentação normal, pode chegar a 2 mg por dia.

Mas o silício também existe na forma biológica, isto é, não-oxidada (dizemos "reduzido"), solúvel em água e, portanto, activo e altamente absorvido pelo organismo, incluindo a nível celular.

Para os leitores que têm conhecimentos de química, é interessante saber que o o silício orgânico é constituído de um grupo metilo (um átomo de carbono e três átomos de hidrogénio), ligado a um átomo de silício, ele próprio ligado a um, dois ou três ligações álcoois (-OH). Quanto mais há álcool de ligação, mais o silício é activo.

A molécula principal utilizada em suplementos alimentares, e desenvolvida por Norbert Duffaut, é o triol silano monometílico (MMST), que contem três grupos de álcoois (o máximo).


Mais informações, aqui:







Utilização

O uso alimentar de silício orgânico foi proibido em Janeiro de 2010, sobre o parecer da Agência Europeia para a Segurança dos Alimentos (AESA). No entanto, foi previamente autorizado, sem reacções adversas notáveis e a sua comercialização é permitida, desde que não seja apresentada como um produto alimentar.

O MMST pode ser utilizado como uma loção. É aplicado sobre a pele com uma compressa embebida. Como penetra bem na pele, junta-se ao tecido conjuntivo mais próximo. Este foi o método utilizado por Norbert Duffaut.

Existe também sob a forma de gel, mais fácil de utilização, mas é então misturado com excipientes, que deve de ser verificado se cumprem os requisitos da carta "Cosmebio" para ter um produto ideal. E existe sob a forma bebivel bio-activado.

À vossa Saúde!

Texto original: Jean-Marc Dupuis
Tradução e adaptação: Eugénia Gomes

Comentários

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde, que tenhamos conhecimento não. Pode adquiri na nossa loja online: http://www.serdanatureza.com/vitasil.php?codigo_marca=28a&opcao=M

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

5-HTP, alternativa natural contra a depressão

DESCRIÇÃO

5-HTP é o acrónimo de 5-hidroxitriptofano (ou 5-hidroxi-L-triptofano). Trata-se de um composto que se encontra fundamentalmente no cérebro. O 5-HTP forma-se a partir do triptofano, um aminoácido natural presente na dieta. O triptofano é um aminóacido essencial, o que significa que não pode ser fabricado pelo organismo e que deve obter-se a partir dos alimentos, especialmente das proteínas. No fígado e no cérebro, o 5-HTP transforma-se num neurotransmissor muito importante denominado serotonina. Os neurotransmissores são mensageiros químicos que transmitem sinais entre os neurónios no cérebro. 
A ingestão do 5-HTP aumenta a provisão corporal desta substância, o que dá lugar a níveis aumentados de serotonina no cérebro. A serotonina, também denominada 5-hidroxitriptamina ou 5-HT, desempenha um papel muito importante no controlo do comportamento e do humor. Influi em muitas actividades cerebrais normais e também actua como um grande regulador da actividade de outros neurotransm…

Falta de acidez no estômago - Hipoclorídria

Cãibras nas pernas durante a noite

Nunca lhe acontece acordar durante a noite com cãibras nas pernas, mesmo que não tenha feito qualquer esforço físico em particular? Você tem mais de 40 anos? Já experimentou tomar magnésio, cálcio, potássio - e, talvez, a vitamina E - e as suas cãibras aliviam um pouco, sem no entanto desaparecerem?
Se este for o seu caso, pode estar a sofrer de hopocloridria, um problema de saúde relacionado com a falta de ácido no estômago. O ácido no seu estômago é bom para si!
As paredes do estômago segregam pelo menos três litros de ácido por dia. Isto é feito através das células que revestem a parede do estômago, e são capazes de "bombear protões", isto para dizer, que para bombear iões hidrogenados do sangue, e de os trazer para o estômago. O ácido gástrico é, portanto, um concentrado de íoes hidrogenados (isto não é um curso de química, convido os leitores interessados a aprender mais sobre este fenómeno interessante, na página do Wikipedia correspo…

Os terríveis malefícios da Candida Albicans

Quando está infectada de Candida albicans, dizemos que tem "sapinho" ou mais precisamente "candidíase", a infecção fúngica mais comum. Candidíase é mais conhecida, para o público em geral, na forma de "sapinhos", essas manchas brancas na boca e lábios, coceira horrível. Os “sapinhos” afetam principalmente crianças e pessoas com sistema imunológico debilitado, (pessoas tratadas com antibióticos, quimioterapia ou com AIDS). O diagnóstico é óbvio, a maioria dos médicos não se enganam
Mas, na realidade, as nossas sociedades industriais estão infectadas com Candida albicans, muito além de pessoas que sofrem de aftas: 90% dos americanos têm uma taxa mais elevada do que o normal de Candida albicans no intestino; 80 milhões de pessoas estão infectadas, e 70% são mulheres. 
Muita da população tem micoses nos dedos, sob as unhas e, muitas vezes: mais frequentemente colónias de Candida albicans.
Começa com pequenas espinhas vermelhas nos dedos. As unhas dos pés tor…